Cultura Brasileira: no ar desde 1998

Revolta dos Cipaios (ou Sipaios) – Primeira Guerra de Independência da Índia

 English Version here

 

          "A primeira guerra da independência da Índia", como é chamada pelos hindus, foi o primeiro passo de uma longa luta pela independência do povo da Índia. As razões para a guerra começaram muitos anos antes de seu início. Foram três os principais eventos que desencadearam a guerra. O primeiro evento ocorreu quando os líderes da Companhia das Índias Orientais, começou a perder contato com os soldados nativos que foram chamados Sipaios. O segundo evento foi a religião. Os cruzados de Deus, para salvar os "selvagens" povos indígenas, construíram missões tentando espalhar o cristianismo, mas criou um tumulto em seu lugar. Em terceiro lugar a guerra precisava de uma faísca. Ela veio na forma de um novo cartucho de fuzil emitido pela Companhia das Índias Orientais. A guerra começou em meados de 1857 com a terceira luz do Calvário se recusar a receber ordens. Neste ensaio, esses eventos-chave serão definidos nos eventos da guerra, mais comumente divulgado pelos britânicos como “A Revolta (ou Motim) dos Sipaios de 1857."

 
 

 

         No final de 1856 e início de 1857 foi divulgada uma antiga profecia (real ou criada para a ocasião, mas que funcionou bem como estopim) dizendo no 100º aniversário da batalha de Plassey (1757) o domínio da Companhia das Índias Orientais iria acabar. A profecia foi secretamente transmitida entre os hindus, sob a forma de um pedaço de pão. Todos os Sipaios dela tomaram ciência, mas era necessária uma faísca para dar início ao cumprimento da “profecia”. Ela veio na forma de um novo cartucho de espingarda de emissão da companhia. Para o rifle de emissão da companhia, o cartucho continha tanto pólvora e bola. Tudo o que era necessário para ser feito era a morder a final para fora do cartucho e enfiar o cano da arma. Para tornar esse processo mais fácil abalroar o cartucho estava coberto de graxa, geralmente gordura animal. O novo cartucho de emissão da companhia foi lubrificado por gordura de vacas e de porco. A vaca, que é sagrada para os hindus, e os suínos, que são “imundos” para os muçulmanos proibidos de a ingerir; o novo cartucho ofendia a todos os soldados nativos. A empresa finalmente percebeu o erro, mas já era tarde demais. Um ato isolado de motim, que envolveu este cartucho, ocorreu em 19 de março de 1857. Um homem pelo nome de Mangal Panday do 34º regimento de de repente bradou aos policiais britânicos que estavam fazendo-o ir contra a sua religião.

         Após uma sequencia de eventos ele passou a liderar a revolta. Uma grande tropa britânica foi enviada da cidade mais próxima, chegando antes que a resistência se pudesse firmar. Mangal, ao ver a chegada da tropa, liderou os Sipaios e matou quase todos os oficiais britânicos que viu; como o número de soldados britânicos era desvantajosamente superior e não houve tempo hábil para preparar a resistência, Mangal tenta se matar com um tiro no peito, sem sucesso. Vai a julgamento e é condenado a forca por “alta traição”.

 
 

 

         O primeiro carrasco fugiu – temendo a figura mitológica gigantesca em que Mangal se havia tornado – e uma nova data para o enforcamento foi marcada. O enforcamento público de Mangal Panday fez dele um mártir e um Herói da Primeira Guerra de Independência da Índia.

          Depois disso, o 34 regimento, já controverso, foi dissolvido. A notícia se espalhou como um rastilho de pólvora: um homem se ergueu para enfrentar o invasor britânico e em 10 de maio de 1857 um novo motim eclodiu, se espalhando por regimentos em Kanpur, Lucknow e outras bases do exército no norte da Índia.

          No final do dia, o Sipaios enraivecidos tomaram a cidade de Delhi, e nomearam Mughul como seu líder. A revolta tinha começado, e os soldados sipaios superavam os britânicos em 8 para 1. Com números assim, tudo o que os britânicos poderiam fazer no início era tentar repelir qualquer ataque sipaios e esperar por reforços da Grã-Bretanha. Quando os reforços chegaram finalmente a sua primeira meta era retomar Delhi. Foi uma luta sangrenta e demorada: alguns milhares de homens, mulheres e crianças foram massacrados, mas eles finalmente retomaram a cidade. Após vários meses de luta contra a Grã-Bretanha retomou todo o norte da Índia.

         A rebelião durou 2 anos, mas a batalha decisiva ocorreu em um período de seis meses de guerra sangrenta. Quando a poeira finalmente baixou, a Companhia das Índias Orientais já não era mais a dona da Índia, a coroa britânica assumira. Numa tentativa de evitar mais derramamento de sangue a coroa britânica decidiu não prosseguir com a expansão da Índia e concordou em não para escravizar o povo indígena mais do que eles tinham. No entanto, todos os amotinados foram brutalmente executados. Isto terminou o reinado de 200 anos da Companhia das Índias Orientais. e iniciou o que seria a busca do povo indiano por seu próprio estado independente.

        90 anos após a execução de Mangal Panday a Índia finalmente conquistou sua independência!

 
 

 
Confira Ainda

Mahatma Gandhi (1869 – 1948)
 

 

Dicas Para Aprofundamento

   

Mahatma Gandhi e Sua Luta com a Índia - Joseph Lelyveld

 

Social and Political Thought of Mahatma Gandhi - Bidyut Chakrabarty

Mahatma Gandy, o Apóstolo da Não Violência - Huberto Rohden

 
Copyleft © LCC Publicações Eletrônicas Todo o conteúdo desta página pode ser copiado e divulgado para fins não comerciais. É educado sempre citar a fonte... Contato: https://www.facebook.com/lazaro.chaves