Símbolos da República Federativa do Brasil

Símbolos da República Federativa do Brasil

 

Constituição e Emendas Constitucionais, confira aqui

Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República Federativa do Brasil.

§ 1º – São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo nacionais.

 

Brasão - Armas da República
Clique sobre a imagem para vê-la em HD

 

Selo da República
Clique sobre a imagem para vê-la em HD

 

A Marinha do Brasil é a Arma Mais Antiga do Brasil

Oriunda das Naves Portuguesas que nestas terras chegaram, foi oficialmente criada com este nome com a Independência do Brasil em 1922

 

 

Bandeira Brasileira

Bandeira do Brasil

 

Cada estrela da Bandeira Nacional corresponde a um Estado da Federação

Cada estrela da Bandeira Nacional corresponde a um Estado da Federação

Hinos Brasileiros

Clique aqui e baixe o Hinário Nacional em MP3 para o seu computador em um arquivo .ZIP


Conteúdo:


Hino_Nacional_Brasileiro
Hino_da_Independência_do_Brasil
Hino_da_Proclamação_da_República
Hino à Bandeira
Hino da Maçonaria
Canção do Expedicionário

 

O Exército Brasileiro nasce a partir do Exército Imperial somadas às tropas formadas pelos Coronéis da Guarda Nacional e unificado com este nome, Exército Brasileiro, também por ocasião da Independência do Brasil, em 1822

 

 

Hino Nacional Brasileiro

Música: Francisco Manoel da Silva

Letra: Osório Duque Estrada

I

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heróico o brado retumbante,

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,

Brilhou no céu da Pátria nesse instante

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte,

Em teu seio, ó liberdade,

Desafia o nosso peito a própria morte

Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!

Brasil, de um sonho intenso, um raio vívido

De amor e de esperança à terra desce,

Se em teu formoso céu, risonho e límpido,

A imagem do Cruzeiro resplandece

Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,

E em teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada,

Entre outras mil és tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,

Pátria amada, Brasil!

II

Deitado eternamente em berço esplêndido,

Ao som do mar e à luz do céu profundo,

Fulguras, ó Brasil, florão da América

Iluminado ao sol do Novo Mundo

Do que a terra mais garrida

Teus risonhos, lindos campos têm mais flores,

Nossos bosques têm mais vida,

Nossa vida, no teu seio, mais amores

Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo

O lábaro que ostentas estrelado,

E diga o verde-louro desta flâmula

– Paz no futuro e glória no passado

Mas se ergues da justiça a clava forte,

Verás que um filho teu não foge à luta,

Nem teme, quem te adora, a própria morte

Terra adorada,

Entre outras mil és tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,

Pátria amada, Brasil!

 

Hino da Independência do Brasil

Musica: D. Pedro I

Letra: Evaristo da Veiga

Já podeis da Pátria filhos

Ver contente a mãe gentil

Já raiou a liberdade

No horizonte do Brasil

Já raiou a liberdade

Já raiou a liberdade

No horizonte do Brasil

Brava gente, brasileira

Longe vá temor servil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

Os grilhões que nos forjava

Da perfídia astuto ardil

Houve mão mais poderosa

Zombou deles o Brasil

Houve mão mais poderosa

Houve mão mais poderosa

Zombou deles o Brasil

Brava gente, brasileira

Longe vá temor servil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

Não temais ímpias falanges

Que apresentam face hostil

Vossos peitos, vossos braços,

São muralhas do Brasil

Vossos peitos, vossos braços,

Vossos peitos, vossos braços,

São muralhas do Brasil

Brava gente, brasileira

Longe vá temor servil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

Parabéns, ó Brasileiros!

Já com garbo juvenil

Do universo entre as nações

Resplandece a do Brasil

Do universo entre as nações

Do universo entre as nações

Resplandece a do Brasil

Brava gente, brasileira

Longe vá temor servil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

Ou ficar a Pátria livre

Ou morrer pelo Brasil

 

 

Hino da Bandeira Nacional

Música: Francisco Braga

Letra: Olavo Bilac

Salve lindo pendão da esperança

Salve símbolo augusto da paz!

Tua nobre presença à lembrança

A grandeza da Pátria nos traz

Recebe o afeto que se encerra

Em nosso peito varonil

Querido símbolo da terra

Da amada terra do Brasil

Em teu seio formoso retratas

Este céu de puríssimo azul,

A verdura sem par destas matas

E o esplendor do Cruzeiro do Sul

Recebe o afeto que se encerra

Em nosso peito varonil

Querido símbolo da terra

Da amada terra do Brasil

Contemplando o teu vulto sagrado,

Compreendemos o nosso dever;

E o Brasil, pôr seus filhos amado,

Poderoso e feliz há de ser

Recebe o afeto que se encerra

Em nosso peito varonil

Querido símbolo da terra

Da amada terra do Brasil

Sobre a imensa nação brasileira,

Nos momentos de festa ou de dor,

Paira sempre sagrada bandeira,

Pavilhão de justiça e do amor

Recebe o afeto que se encerra

Em nosso peito varonil

Querido símbolo da terra

Da amada terra do Brasil

 

A (FAB) Força Aérea Brasileira foi criada a partir do Decreto-Lei nº 2.961 da República a 20 de Janeiro de 1941. Dados os avanços tecnológicos e por simplicidade operacional, decidiu-se unificar a “Aviação Militar”, do Exército Brasileiro, a “Aviação Naval”, da Marinha do Brasil e a Aviação Civil num único ministério: nascia então o Ministério da Aeronáutica e, nele, a Força Aérea Brasileira

 

Hino Dos Aviadores Brasileiros

Composição: Capitão Armando Serra de Menezes
Música: Tenente João Nascimento

Vamos filhos altivos dos ares
Nosso vôo ousado alçar
Sobre campos, cidades e mares
Vamos nuvens e céus enfrentar

D´astro rei desafiamos os cimos
Bandeirantes audazes do azul
Às estrelas de noite subimos
Para orar ao Cruzeiro do Sul

Contato, companheiros !
Ao vento sobranceiros
Lancemos o roncar
Da hélice a girar

Mas se explode o corisco no espaço
Ou a metralha na guerra rugir
Cavaleiros do século do aço
Não nos faz o perigo fugir

Não importa a tocaia da morte
Pois que a pátria dos céus o altar
Sempre erguemos de ânimo forte
O holocausto da vida a voar

Contato, companheiros !
Ao vento sobranceiros
Lancemos o roncar
Da hélice a girar

Constituição e Emendas Constitucionais, confira aqui

Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República Federativa do Brasil.

§ 1º – São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo nacionais.

 

FIBRA DE HERÓI

Canção tradicional do Exército Brasileiro, Força Aérea Brasileira (FAB) e Corpo de Fuzileiros Navais, da Marinha do Brasil, com letra de Barros Filho e música de César Guerra Peixe.

Cantada nos quartéis para homenagear a Bandeira do Brasil.

Letra: Teófilo de Barros Filho

Ano: 1942

Música: Guerra Peixe

Se a Pátria querida for envolvida

Pelo inimigo, na paz ou na guerra,

Defende a terra

Contra o perigo,

Com ânimo forte, se for preciso,

Enfrenta a morte!

Afronta se lava com fibra de herói

De gente brava!

Bandeira do Brasil,

Ninguém te manchará

Teu povo varonil

Isso não consentirá!

Bandeira idolatrada,

Altiva a tremular

Onde a liberdade

É mais uma estrela

A brilhar!

Ajude a manter SUA página CULTURA BRASILEIRA ATIVA


Compartilhe

Lázaro

Palestrante e Professor Universitário Aposentado

Deixe seu comentário para podermos aprimorar SUA Página